quinta-feira, 23 de novembro de 2017

COMO ESCOLHER AS MELHORES CORDAS PARA VIOLÃO AÇO


“Aquela é leve, mas oxida rápido. Aquela tem os graves encorpados, mas corta o dedo quando aplico o Bend. Aquela tem o um som brilhante para solos, porém seus graves deixam muito a desejar. Uma corda estourou! O que fazer?” – essas falas são comuns na hora de tomar decisões sobre som e durabilidade de cordas – ou situações onde as mesmas estouram. A escolha do tipo de encordoamento na hora da compra é pessoal – mas seguem algumas dicas para esclarecer melhor os “mitos” por trás do assunto!
O mais comum é os violonistas/guitarristas/baixistas escolherem as cordas de preço mediano (entre R$20,00~R$40,00). Sim, a maioria compra pelo preço – variando apenas a tensão preferida. Mas o que essa tensão muda, na hora de escolher?


O primeiro detalhe que muda com a tensão é a textura sonora. Cordas de tensão leve (0.8, 0.9) possuem o som médio-grave fraco, desencorpado e desafinam facilmente. Apesar disso, são ótimas para solos e bem macias, sendo a mais pedida pelos iniciantes e solistas. As cordas mais tensas (0.10, 0.11, 0.12) possuem fortes graves e o som brilhante. Em compensação, não são apropriadas para solos. Também são indicadas para o caso de se usar afinações fora do padrão (em C, C#, D – comuns no metal).
Para uma flexibilidade no potencial do instrumento, guitarristas/violonistas mais experientes costumam combinar de dois até três conjuntos de cordas ao mesmo tempo, usando 0.10~0.11 nas graves (E2, A2, D3), 0.9~0.10 nas agudas (G3, B3, E4) e quase sempre 0.9 na E4 (“mizinha”). O nome desse processo é “encordoamento híbrido”, aonde várias dinâmicas são aplicáveis ao instrumento. Poucas marcas são híbridas, obrigando o instrumentistas a comprar dois ou três conjuntos para fazer a “customização”.
Durabilidade é uma questão que independe da tensão escolhida. Dependendo da marca, temos cordas que oxidam em menos tempo, mantendo um som brilhante em até 6 meses – que é o prazo recomendado para a troca do encordoamento. Mas uma boa forma de ampliar o tempo útil das cordas é aplicando os limpadores de cordas, que aumentam o tempo de vida útil das cordas em até 5 vezes! Como na expressão dos guitarristas, “limpadores transformam qualquer D’addário em Elixir”.
Cordas avulsas são uma boa pedida para emergências, como momentos em que uma corda arrebenta e não tem nenhuma loja (ou dinheiro) por perto. Mas são em geral bem menos duráveis, sendo recomendável que troque o conjunto pelo original o quanto antes.

Fonte : https://www.timbres.com.br/blog/como-escolher-as-cordas-para-o-violaoguitarra/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Facebook